Cantar em português

Fui a uma festa de hiphop português na sexta-feira e fiquei hooked num género a que nunca liguei por aí além. Ouvi SaoOneArt, que conta histórias em música, e o Malabá conquistou-me com a história do filho, que é “Sangue do seu sangue”.


Depois há o Sam the Kid, que sempre me contou as melhores e as mais heartbreaking stories. E as mais divertidas também.


O hip hop cantado em português não é sujo, é interessante e quer, mais do que tudo, partilhar o que vai vivendo. E às vezes é só preciso dar-lhe uma oportunidade. Ao cantar, ao contar histórias na língua que mais nos diz e que melhor nos fala ao coração.

Advertisements