A minha voz é peculiar

Tenho dois nódulos nas cordas vocais desde que me lembro. São como duas pedras pequeninas que estão frente a frente e que, se falar muito durante muito tempo/tentar cantar demais/falar alto, vão inchando até que começam a raspar uma na outra.

Regra geral nunca me incomodaram para além da rouquidão ocasional ou da desilusão de não conseguir fazer agudos sem me esmifrar toda e parecer um pato zangado. Em colónias de férias chegava a ser uma voz sexy e em festivais de verão uma boa forma de fazer os outros descansar do que tenho para dizer.

Aprendi com o Dr. Mário Andrea e uma terapeuta da fala alguns cuidados a ter. Não lhes liguei nenhuma até um dia em que estive dois dias muito rouca, com a voz apagada. Se continuasse a forçar, mais valia começar a aprender linguagem gestual!

Quem já jogou Pictionary comigo sabe que a mímica não é o meu forte…

Então comecei a calar-me ao fim de duas horas de conversas non-stop. A cantar com menos convicção (não Joana, não és uma cantora lírica). Aprendi que não se deve pigarrear, que não há razão para falar alto a não ser que se seja auxiliar de uma escola primária. Beber água pode fazer bem à celulite E AINDA protege a voz.

Neste Dia Mundial da Voz, aprendam a ter respeito por ela, pela vossa. E já agora ofereçam palavras bonitas a quem merece ouvi-las.

Advertisements